Morashá

Curiosidades


A girafa é um animal que apresenta características que, de acordo com a Torá, fazem dela um animal casher: ela tem casco fendido e rumina. Mas não é uma tradição judaica comer esse belo animal, pois as girafas são raramente encontradas fora da África e ninguém sabe como fazer o abate casher delas.


No dia 10 de Tevet do ano judaico de 3336 (425 AEC), os exércitos babilônicos do imperador Nabucodonosor sitiaram Jerusalém; trinta meses mais tarde, no dia 9 de Tamuz do ano 3338, as muralhas da cidade foram rompidas. Um mês depois, no dia 9 de Menachem Av (considerado o dia mais triste do calendário judaico), o Primeiro Templo Sagrado de Jerusalém foi destruído. O povo judeu foi exilado para a Babilônia, onde permaneceu em exílio durante 70 anos.


Os primeiros judeus na América do Norte eram sefaradim. No ano de 1700, havia apenas 300 judeus nos Estados Unidos. A partir do século 18, judeus alemães passaram a imigrar para os Estados Unidos e, apesar de serem ashkenazim, eles se afiliaram às sinagogas sefaraditas.


No casamento judaico o rosto da noiva é coberto por um véu. Este costume vem desde o período dos patriarcas. Em Gênesis é contado que quando Rebeca viu pela primeira vez Isaac, ela se cobriu com um véu. A partir de então se tornou uma tradição a noiva cobrir seu rosto com um véu antes da cerimônia de casamento. Este ritual é chamado badeken - cobertura. Porém, como Jacob foi enganado e se casou com Leah acreditando que era Rachel - pois seu rosto estava coberto por um pesado véu - tornou-se um costume, para prevenir erros deste tipo, o noivo colocar o véu na noiva. Desta forma ele poderá ver o rosto de sua futura esposa e se certificar de que é a mulher que ele escolheu de fato.


Nos dias de Chanucá, inclusive no Shabat, o Halel completo é recitado durante Shacharit – a reza da manhã – logo após a oração da Amidá. Também recitamos um trecho especial de Chanucá, chamado de Al Hanisim, que é inserido na Amidá de Shacharit, Michná (reza da tarde) e Arvit (reza da noite), na reza de Musaf (recitada no Shabat, após a leitura da Torá) e no Bircat Hamazon (a prece recitada após uma refeição que inclua pão). Tachanun (confissão de pecados) não é recitado durante os oito dois de Chanucá.


Em 1664, a Grã-Bretanha tomou posse de New Amsterdam (Nova Amsterdã), mudando o nome desta para New York (Nova Iorque). Sob domínio inglês, os judeus de Nova Iorque receberam mais direitos civis. Em 1706, já haviam criado uma comunidade judaica, chamada de Shearit Israel.


O judaísmo revela que a Presença de D’us se revelava no Templo Sagrado de Jerusalém. Mesmo após a destruição do Segundo Templo, a plataforma onde se erguia o Templo continua sendo sagrada, pois o espírito de D’us nunca partiu de lá.


No dia 25 de Kislêv, no ano de 2449 (1312 AEC), foi completada a construção de vários componentes do Mishkan – o mini-Templo, construído sob a liderança de Moisés, pelos Filhos de Israel no deserto do Sinai. Nossos Sábios ensinam que D’us recompensou o povo judeu por esse feito: 12 séculos mais tarde, após a vitória sobre os gregos, os Macabeus re-dedicaram o Templo Sagrado no dia 25 de Kislêv (ano 3622). De fato, esta data é o primeiro dia de Chanucá.