Morashá

Curiosidades


Em 1664, a Grã-Bretanha tomou posse de New Amsterdam (Nova Amsterdã), mudando o nome desta para New York (Nova Iorque). Sob domínio inglês, os judeus de Nova Iorque receberam mais direitos civis. Em 1706, já haviam criado uma comunidade judaica, chamada de Shearit Israel.


Dia 17 de Tamuz: um dia de jejum no calendário judaico que marca o início do período das Três Semanas de luto. 


Dia 15 de Tamuz, é o aniversário de falecimento de um grande Sábio e místico sefaradi, o Rabi Chayim ben Attar (mais conhecido pelo nome de sua famosa obra sobre a Torá, o Ohr HaChayim). Rabi ben Attar nasceu no Marrocos, mas faleceu em Jerusalém. O Baal Shem Tov, que foi o fundador do movimento chassídico, tentou chegar à Terra de Israel para conhecê-lo, mas suas tentativas não se concretizaram. Conta-se que ambos juntos teriam a força de trazer Mashiach para o mundo.


Dia 12 de Tamuz, é a data de aniversário do sexto Lubavitcher Rebe, Rabi Yosef Yitzhak Schneerson. O sexto Rebe foi o mestre e sogro do Rebe de nossa geração, Rabi Menachem Mendel Schneerson. Foi o sexto Rebe que iniciou a missão de enviar emissários pelo mundo para ajudar judeus, material e espiritualmente, e para trazê-los mais perto de D’us e da Torá.


A Anti-Defamation League, fundada em 1913, é uma importante e renomada organização mundial que luta contra o anti-semitismo. Os programas e atividades da Anti-Defamation League têm o propósito de combater o ódio e o preconceito.


Os primeiros judeus na América do Norte eram sefaradim. No ano de 1700, havia apenas 300 judeus nos Estados Unidos. A partir do século 18, judeus alemães passaram a imigrar para os Estados Unidos e, apesar de serem ashkenazim, eles se afiliaram às sinagogas sefaraditas.


No casamento judaico o rosto da noiva é coberto por um véu. Este costume vem desde o período dos patriarcas. Em Gênesis é contado que quando Rebeca viu pela primeira vez Isaac, ela se cobriu com um véu. A partir de então se tornou uma tradição a noiva cobrir seu rosto com um véu antes da cerimônia de casamento. Este ritual é chamado badeken - cobertura. Porém, como Jacob foi enganado e se casou com Leah acreditando que era Rachel - pois seu rosto estava coberto por um pesado véu - tornou-se um costume, para prevenir erros deste tipo, o noivo colocar o véu na noiva. Desta forma ele poderá ver o rosto de sua futura esposa e se certificar de que é a mulher que ele escolheu de fato.


As tradições seguidas nos casamentos judaicos advêm das histórias bíblicas de nossos antepassados. O Livro de Gênese - o primeiro livro da Torá - revela que quando a matriarca Rebecca viu seu marido, Isaac, pela primeira vez, ela cobriu seu rosto com um véu. É deste episódio na história judaica que surgiu a tradição de cobrir o rosto da noiva antes da cerimônia de casamento. Em hebraico, este ritual é chamado de badeken – literalmente, o encobrimento.