Morashá

Curiosidades


Moisés tinha 120 anos quando deixou este mundo. Este tempo de vida é considerado o ideal. Na tradição judaica uma forma de abençoar uma pessoa é dizendo: "Que você possa viver até os 120 anos".


Rabi Akiva, o maior sábio do Talmud, só começou a estudar a Torá aos 40 anos de idade. Ele cresceu como um pastor ignorante e analfabeto. Rabi Akiva começou a estudar Torá para poder se casar com Raquel, filha de Kalba Savua. Posteriormente, Rabi Akiva se tornou o maior rabino da história judaica.


O autor judeu Sholom Aleichem escreveu estórias em Idishe – tristes e alegres – sobre o shtetl, o pequeno vilarejo onde viviam judeus. Ele descreveu o mundo judaico do shtetl – os conflitos, as alegrias e as tensões enfrentados pelos judeus no dia a dia. Uma das mais famosas estórias de Sholom Aleichem é sobre Tevye, o leiteiro, e suas filhas. Esta estória serviu como base do clássico “O Violinista no Telhado”.


A girafa é um animal que apresenta características que, de acordo com a Torá, fazem dela um animal casher: ela tem casco fendido e rumina. Mas não é uma tradição judaica comer esse belo animal, pois as girafas são raramente encontradas fora da África e ninguém sabe como fazer o abate casher delas.


No dia 10 de Tevet do ano judaico de 3336 (425 AEC), os exércitos babilônicos do imperador Nabucodonosor sitiaram Jerusalém; trinta meses mais tarde, no dia 9 de Tamuz do ano 3338, as muralhas da cidade foram rompidas. Um mês depois, no dia 9 de Menachem Av (considerado o dia mais triste do calendário judaico), o Primeiro Templo Sagrado de Jerusalém foi destruído. O povo judeu foi exilado para a Babilônia, onde permaneceu em exílio durante 70 anos.


Os primeiros judeus na América do Norte eram sefaradim. No ano de 1700, havia apenas 300 judeus nos Estados Unidos. A partir do século 18, judeus alemães passaram a imigrar para os Estados Unidos e, apesar de serem ashkenazim, eles se afiliaram às sinagogas sefaraditas.


No casamento judaico o rosto da noiva é coberto por um véu. Este costume vem desde o período dos patriarcas. Em Gênesis é contado que quando Rebeca viu pela primeira vez Isaac, ela se cobriu com um véu. A partir de então se tornou uma tradição a noiva cobrir seu rosto com um véu antes da cerimônia de casamento. Este ritual é chamado badeken - cobertura. Porém, como Jacob foi enganado e se casou com Leah acreditando que era Rachel - pois seu rosto estava coberto por um pesado véu - tornou-se um costume, para prevenir erros deste tipo, o noivo colocar o véu na noiva. Desta forma ele poderá ver o rosto de sua futura esposa e se certificar de que é a mulher que ele escolheu de fato.


Nos dias de Chanucá, inclusive no Shabat, o Halel completo é recitado durante Shacharit – a reza da manhã – logo após a oração da Amidá. Também recitamos um trecho especial de Chanucá, chamado de Al Hanisim, que é inserido na Amidá de Shacharit, Michná (reza da tarde) e Arvit (reza da noite), na reza de Musaf (recitada no Shabat, após a leitura da Torá) e no Bircat Hamazon (a prece recitada após uma refeição que inclua pão). Tachanun (confissão de pecados) não é recitado durante os oito dois de Chanucá.